5 de fev de 2012

16 anos!


Este ano completo 16 anos de sala de aula do ensino superior, como digo para os meus alunos são quase 16 anos na vida do crime, e em uma sala de aula de penal esta afirmação dispensa explicações. Como costumo dizer: “Não é que eu esteja velha, é que eu comecei muito novinha”. Adentrei em sala de aula completamente errada, recém saída da condição de aluna, com a aprovação em uma seleção, mas sem qualquer preparação prévia para a atividade tão sublime e laboriosa que iria começar, isto gerou experiências que poderiam ser evitadas, mas eu não mudaria nada, porque tudo o que vivi me moldaram para o que sou hoje, e quer saber: Sou muito feliz com a professora que estou me tornando (Sim, porque o ser professor nunca é um ser acabado, está sempre em contínua formação).
Quando penso no ciclo de vida do professor, de Huberman, encontro-me no meio da carreira, terminando a fase da energia física e intelectual e iniciando a fase da maturidade, estou começando a questionar a minha eficácia como professora, na busca de levar a minha docência de forma mais descontraída, tendo os meus alunos como companheiros de trabalho, que estão na sala de aula para me ajudar a ser uma professora melhor.
Nestes 16 anos de docência meu maior presente é na verdade a multidão de alunos e ex-alunos que tenho hoje, todos eles, meus valiosos presentes.